Feliz Ano Velho!



Esse sem dúvidas foi o ano que mais amei, que mais chorei.
Como amadureci, passei de menina para "mulher"...

Construi novos valores, reconstrui outros valores...
Assumi responsabilidades, me assumi, assumi meus sentimentos!!!

Deixei de acreditar em certas coisas, passei a acreditar em coisas "antigas"!
Conheci pessoas através do inesperado. Descobri o que é a distância e desejei que rua de cima fosse a maior distância... Passei a ser Tia, descobri sentimentos novos, passei a amar quem eu desconheço, passei a amar um ser que não sabe soletrar meu nome!

Conquistei amig@s, entendi como nasce a amizade, fortaleci amizades almejadas... Entendi que amig@s na verdade são nossos cúmplices, fiz confidências com pessoas que jamais imaginei tamanha cumplicidade e lealdade. Conheci pessoas raras.

Almejei o mundo, almejei meu VGGA, fui intensa em tudo que almejei...
Busquei, conquistei, chorei e sorri!!!

Quero milhões de anos como este que passou...
Quero viver a vida mais leve, colorida e divertida!!!

Me transformei, mudei, segui a dialetica da vida, que oras acerta oras erra, mas traz consigo muito amadurecimento! Dancei a música da vida, oras rápida e agitada e oras lenta, oras gostando da dança oras querendo apertar PAUSE.

Aprendi que nem tudo é como planejamos, mas o melhor da vida é sorrir!

Senti na pele a luta de classes, a exclusão, a indiferença, a injustiça, a falta de acesso, a negação por algo que lhe pertence por direito!

Me recolori varias vezes durante o ano. E descobri que a vida não para a gente curar nossas dores!!!

Descobri que ser gente grande tem lá suas vantagens!!
Aprendi que pensar e sonhar junto com o coletivo não ha nada de errado, devemos sim lutar sempre, que a nossa esperança possa nascer do inesperado, que a estranheza nasça do conhecimento.
Descobri que ser oposição é mais difícil como pensava, a gente que saber o dobro daquilo que a gente acha que sabe. E que lutar por uma sociedade mais justa mais humana e igualitária não é crime e sim dever!

Um ano novo cheio de alegrias que nunca percamos a esperança e fé na vida!



Misturando...


Caramba que sede!!!

Sede viver mais uns duzentos anos, sede de ser feliz, sede de viver um grande e avassalador amor, sede de viver mais uma vida inteira cheia de alegrias..

Quando vou me bastar? Quando essa minha busca por algo que ainda não tem nome acaba?

Quero mais, muito mais...

Tentando viver a pluralidade, tentando materializar a vida!!! Pode?

"Amor é outra coisa"

"...Você é a pessoa mais humana, por isto amo você..."

Foi essa a mensagem que recebi...

Mas agora??
Isso não é amor pra mim...

Amor pra mim é regado de atitudes, e demostrações de carinho.
É querer o outro por perto é se fazer presente, e enfrentar teus medos e insegurança.
Amor é dar a "cara para o outro bater" / é estar disposta á...
Amor é sentir e viver o que sente.
Amor é viver o agora, amor é construir o amanhã.
Amor é o ridiculo da vida... É o que tem de mais clichê.

Amor sem dúvidas é aquilo que te dá um sacode e te manda pro além. Te faz fazer coisas das quais você nunca imaginou que iria fazer - Isso é amor!!

E não depois de algum tempo de ausência, dizer que ama alguém...
Isso é saudade e não amor.

Pedacinhos de mim...

Entrei na livraria, nem procurava algo especifico ou sair de lá com algum livro. Eis que algo me despertou!!! Clarice Lispector - De amor e amizade:

Assim diziam para chapeuzinho vermelho, que esta só mais tarde cuidou de se cuidar.

- - - -

Continuo alias atrasada em muitos terrenos. Nada posso fazer: parece que há em mim um lado infantil que não cresce jamais.

- - - -

Ah a vida dos sentimentos é extremamente burguesa

- - - -

Amor com que vem junto: ciumes

- - - -

Eu te dou o pão e preferes o ouro. Eu te dou o ouro e tua fome legitima é de pão.

- - - -

O que nos salva da solidão é a solidão de cada um dos outros. Ás vezes, quando duas pessoas estão juntas, apesar de falarem, o que elas comunicam silenciosamente uma à outra é o sentimento de solidão.

- - - -

Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor. Há o amor. Que tem que ser vivido até a última gota. Sem nenhum medo. NÃO MATA.

- - - -

E o susto: acorde, pois há o perigo do coração estar livre!

- - - -

Não tem sido nada fácil pra mim. Acredite.

Quem foi

Quem foi que me deixou
No limite do amor
Entre o lar e a morada
Eu estou entre o adeus
E a contrapartida

No meio do fio
Na corda bamba, é o amor
Entre risos nervosos
Tenho os olhos meus
Sobre os sonhos teus

Deixa o coração
Ter a mania de insistir em ser feliz
Se o amor é o corte e a cicatriz
Pra quê tanto medo
Se esse é o nosso jeito de culpar o desejo

Guimarães Rosa

"..O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem..."
Guimarães Rosa

Remetente

"Os mais sensíveis e os artistas oferecem resistência" The Wall
Recebi por mensagem no celular de um número ainda desconhecido.

É o que me interessa

Daqui desse momento
Do meu olhar pra fora
O mundo é só miragem
A sombra do futuro
A sobra do passado
Assombram a paisagem.

Quem vai virar o jogo
E transformar a perda
Em nossa recompensa
Quando eu olhar pro lado
Eu quero estar cercado
Só de quem me interessa.

Às vezes é um instante
A tarde faz silêncio
O vento sopra a meu favor
Às vezes eu pressinto e é como uma saudade
De um tempo que ainda não passou
Me traz o seu sossego
Atrasa o meu relógio
Acalma a minha pressa
Me dá sua palavra
Sussurra em meu ouvido
Só o que me interessa.

A lógica do vento
O caos do pensamento
A paz na solidão
A órbita do tempo
A pausa do retrato
A voz da intuição
A curva do universo
A fórmula do acaso
O alcance da promessa
O salto do desejo
O agora e o infinito
Só o que me interessa.


"...Minha dor é perceber que apesar de termos feitos tudo que fizemos...

Ainda somos os mesmo e vivemos..."


Não gosto de reforçar algumas coisas negativamente (como dizem os psicólogos), mas hoje vi uma cena que me desorientou não consegui trabalhar até o final da tarde e isto vai ficar na cabeça por muito tempo.


Fui convidada para participar de um projeto com jovens, como gosto, simplesmente costumo brincar com eles dizendo que eles trazem mais vida a minha vida.
Hoje teria apresentação da fanfarra, estavam todos muito bem arrumados e mega ansiosos para a apresentação. A apresentação saiu como planejada tudo lindo e perfeito, a programação na escola seguiu após o termino da apresentação, hoje a escola estava em ritmo de festa - Mostra Cultural dos alunos.

Quando caminhávamos para as finalizações do trabalho, estávamos fazendo a avaliação de como foi positivo a mostra dos alunos. Vi algo que me deixou desorientada.
Dois jovens brigaram, e foi uma briga muito feia e violenta, me machucou só de olhar como eles tinham raiva.

Foi muito forte ver aquela cena e ver a reação das pessoas, que nada fizeram, ate eu e mais um professor começar a gritar para alguém nos ajudar a separar a briga, o guarda da escola fez que não era com ele, o professor com quem eu conversar e presenciou a cena comigo foi logo correndo e tentou separar a briga e daí gritei com o guarda da escola que foi ajudar a acudir.

Chamamos a policia que logo apareceu como o ECA preconiza resguardar qualquer criança ou adolescente, sendo dever de TODOS zelar pelo bem estar da criança e do adolescente, logo me acalmei e pedi para a policia levar um dos meninos embora para casa, pois nosso medo era que algo pior poderia acontecer. A resposta do policial foi que ele não poderia fazer aquilo.

Mais uma vez em contradição: Servir e proteger quem?? E mais o policial nos orientou que não era para nos levarmos o menino embora, pois alguém poderia nos ameaçar.

Fiquei muito indignada com isto, pois estamos falando de um menor de idade, de alguém que NECESSITA ser protegido neste momento e esta totalmente desamparado, o único órgão que conheço que poderia nos auxiliar neste momento negou proteção.

A violência por si só não machuca, pois esta é o resultado de inúmeras coisas que estão por trás, a violência física é apenas o ponto final da questão social
A violência é uma forma de manifestar a expressão da questão social, é uma forma de dizer que as coisas não estão caminhando como deveriam. A violência vai continuar existindo enquanto a política não for garantida. O Estado precisa olhar para estes meninos como meninos e não como delinqüentes.

Vivemos numa sociedade onde o que rege é a coisificação e o senso comum. Você é aquilo que você tem. Coisificação sentimentos acho isso um absurdo. Como os valores estão invertidos.
A desigualdade tende a crescer, e com ela a violência cresce junto. Viveremos assim até quando? Viveremos de brincar de fazer política até quando??

Estes meninos ficam a mercê da sociedade, a deriva da pobreza, a margem, esperando que alguma política de fato os proteja!

Fiquei muito triste, pois isto me tocou diretamente. O que o governo, a escola, a política tem feito para estes meninos se ocuparem, para não serem tentados a cair em caminhos não certo?

O que nos sociedade estamos fazendo? O que a política prevê? O que preconiza o Estado?

Realmente é muito fácil julgar depois, dizer que realmente lugar de "delinqüente" é na FEBEM ou cadeia. Claro nada foi feito enquanto era tempo, nada fizeram enquanto estes meninos gritavam por um pouco de proteção e cuidado. Depois fica fácil e barato tratar pessoas como bichos e jogar na cadeia, impregnando a sociedade de medo, colocando o homem contra o próprio homem. Não construindo nada. Assim dá ibope para estes programas sensacionalista, criminalizando a pobreza, criminalizando a juventude.

A Diretora chegou e nos chamou para sua sala, para continuarmos a avaliação do projeto. Nos serviu café e um pão de queijo deliciosamente cheiroso. Mas minha dor de cabeça voltou mais forte que de manhã, meu estômago estava torcido, na boca uma vontade de vomitar.

Não consegui me concentrar, não conseguia fingir que brigas na porta de escola são rotina ou normal, a cena repetia toda hora na minha cabeça, não consegui comer ou beber o café!

Minha vontade era de fazer uma roda de conversa com aqueles meninos e explicar que temos que nos unir em busca de melhorias e não nos enxergar como inimigos.
Um sentimento de angustia tomou conta de mim, queria fazer algo. mas o que? Como? Começar por onde?

Cadê as autoridades neste momento, cadê os políticos que tanto falam de nossa juventude.
Percebo que os jovens de hoje estão sem perspectiva de vida nenhuma. Conversando com jovem dia desses, ele me disse que se chegar até os 18 anos está bom.

COMO ASSIM??? 18 anos você ainda vai ser um menino, não sabe nada da vida, não começou a viver o melhor da vida, e acha que já viveu o suficiente.
Tenho muito medo dos adolescentes de hoje serem os adultos frustrados de amanha.


Sei lá, disse muita coisa, mas não saiu nada!
Pela primeira vez não muito bem o que fazer. Pois não me contive com a resposta da Diretora:
Os meninos que nem são da escola vem arrumar briga com os nossos alunos.

Que diferença faz, ser ou não aluno da escola? Isso é a expressão da questão social. Uma hora ela te pega não adianta fugir ou fingir que ela não existe, a pobreza, a desigualdade, o senso comum existe em todos lugar basta "querer enxergar."
"... Nos escolhemos não fechar os
olhos para as injustiças do mundo..."

Trecho do filme: Zuzu Angel

Ai se sesse...

Faz tempo que queria compartilhar:
(Acho muito bonito a simplicidade que eles descrever o sentimento)

Clichê e por quê não?


Esquadros


Esquadros


Você é uma sonhadora ou anda com a cabeça nas nuvens. É muito acolhedora e carinhosa com aqueles que quer bem. Preocupa-se com as grandes questões sociais do mundo e pensa em uma forma de torná-lo um ambiente de paz. Seus amigos gostam de sua companhia e a admiram pelo prazer à vida que lhe move. Procure correr mais atrás de seus sonhos e confie no seu potencial.
Outra Calcanhotto para sua trilha: Aconteceu.


Qual música da Adriana Calcanhotto fala por você?



Teste publicado no site Parada L�sbica.

"...Só ás mães são felizes..."


Tenho uma amiga que vive dizendo: Ás mães sempre sabem...
É não é que constatei que é verdade!!!

Hoje apenas deitei no colo da minha mãe, e enquanto ela acariciava meu cabelo, perguntou:
E o seu romance como está?

(Pergunta que ainda não tem resposta, ou tem e eu estou com medo de aceitar...)

Um pouco de poesia para aquecer


"...Procuro dizer o que sinto.
Sem pensar em que sinto.
Procuro encostar ás palavras a idéia
E não precisar dum corredor
Do pensamento para as palavras.


Nem sempre consigo sentir o que sei que devo sentir
O meu pensamento só muito devagar atravessa o rio a nado.
Porque lhe pesa o fato de que os homens o fizeram usar.


Procuro despir-me do que aprendi,
Procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram,
E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos,
Desencaixotar minhas emoções verdadeiras,
Desembrulhar-me e ser eu, não Alberto Caeiro,


(...) E assim escrevo, ora bem, ora mal,
Ora acertando o que quero dizer, ora errando..."


Alberto Caeiro

De repente: Aliviada e protegida



"... Por Você
Eu dançaria tango no teto
Eu limparia, os trilhos do metrô
Eu iria a pé, do Rio à Salvador...
Eu aceitaria a vida como ela é..."


Tão bom ser quem a gente quer ser!!
Já pensou nisso??
Ser a profissão que gostaríamos de exercer. Ser aquela pessoa realmente que imaginamos que iríamos ser!!!

Acordei estranha hoje!! Pensativaaaaaaaa...
No almoço não aguentei e chorei!!! E como choreiii..

Durante a noite o cenário perfeito:
Pai e irmã saíram...

Ficamos em casa eu e minha mãe. Ela me convidou para assistir TV, deitei em seu colo, coisas que não fazíamos a tempos e começamos a conversar. E de repente a conversa que havia ensaiado a tempos, as palavras sumiram e deram lugar ao choro guardado a anos, ao desabafo almejado por muitos tempos.

Foi melhor do eu imaginava.

Hoje eu deveria dar uma puta força a ela, para me entender e me aceitar como sou.
Mas para minha surpresa foi ao contrário.
Enquanto eu chorava ela me abraçava e dizia que ia ficar tudo bem, e que isso não era errado, que o importante da vida é ser feliz!!

Como eu amo esse ser que chamamos de MÃE, como pode??
Um amor tão incondicional desta maneira??
Um amor tão puro e verdadeiro!!
Um amor capaz de vencer obstáculos e barreiras e aceitar as coisas...

Me sinto mais aliviada e mais encorajada para viver.
Mais segura para viver este desafio: VIVER A VIDA!!

Quinta-feira

"... É dia de feira, quarta-feira, sexta-feira, não importa a feira..."
O Rappa

Não sei por que... Ou explicar..

Tenho algo estranho com as quintas-feiras. Não sei se trouxe de vicio do ultimo serviço. Onde Ás crianças ficavam mais agitadas de quintas, pois já estavam cansadas. E depois de muita luta, consegui uma almejada folga ás quintas-feiras. Mas mesmo assim nunca consegui me simpatizar com á pobre quinta-feira (rs).

E hoje não foi diferente. Acordei..

E logo veio aquela preguiça estranha que geralmente bate na segunda, aquela vontade de dormir só mais 5 minutos, como diria Freja: O mundo inteiro ACORDAR e a gente DORMIR, pro dia nascer FELIZ...

Acordei desta maneira, confesso que tanto enrolar, quase perdi hora. Me arrumei apressada.

E para minha surpresa. Cadê as chaves do carro?? E de casa??
Cadê?? Estava aqui até ontem... Onde coloquei...
Arghhh quinta-feira, só podia ..

Depois de quase perder 10 minutos procurando ás chaves. Ás encontrei.

Entrei no carro e um frio estranho, ás pessoas não estavam alegres como de costume. Minha ligação logo pela manhã, não tocou, eu que "provoquei" para que ela me ligasse.

Quando cheguei no serviço, teria uma reunião daquelas que dura o dia inteiro. Mas combinei comigo, que esta seria uma quinta diferente, combinei com uma amigas de sair logo depois do serviço.


(Durante o dia recebi mensagens de pessoa "a típica", estranhei, mas logo lembrei - quinta-feira coisas estranhas acontecem hoje. POr isso nem me dei o luxo de responder, rs)

Já contando ás horas para o "fim" do trabalho chegar. Chegou com atraso, mas veio.
Uma preguiça vontade de vim pra casa correndo, de desmarcar o encontro com ás amigas e confesso de encontrar um certo alguém (suspiros, rs). Mas não me rendi ao cansaço.

Eis que quando coloquei os pés na rua, o destino riu da minha cara e começou a chover muito.

Logo perdi a vontade, e entendi que hoje é quinta-feira com cara de segunda, e eu não tinha nada que querer ficar "desafiando" ás quintas-ferias. Elas são assim mesmo, estranhas e imprevisiveis.

Já estou em casa e são quase 22h. Hora de dormir e nem aproveitei o dia. (Ja parou de chover)
Quinta-feira!!!

Zeca Baleiro


A Depender de Mim

A depender de mim
Os psicanalistas estão fritos
Eu mesmo é que resolvo os meus conflitos
Com aspirina amor ou com cachaça
Os gritos todos virarão fumaça
A dor é coisa que dói e que passa
Curar feridas só o tempo há de
Toda regra para o bem da humanidade
É certo necessita de uma exceção

A depender de mim
Os publicitários viram bolhas
Eu sei como fazer minhas escolhas
E assumir os erros que lá vem
Se a alma finca pé os medos somem
Menino nunca deixe que te domem
Mau pai dizia o verdadeiro homem
Sabe o que quer ainda que não queira
Besteira é seguir o coração

A depender de mim
Os padres e pastores serão tristes
Eu penso mesmo que deus não existe
E ainda assim quem sabe eu creia em deus
Se deus é o outro nome da verdade
Deste momento até a eternidade
Eu levo entre mentiras e trapaças
Besta felicidade frágil farsa
do que preciso riso preces e paixão.

Naturalmente


Ás coisas diferentes acontecem com uma certa surpresa...

O convite partiu dela, e saiu de forma espontânea:
Vamos passar o domingo comigo?

A minha resposta foi ensaiada:
Hum... Não sei.. Acho que sim...
A cabeça girou, pensei em muitas coisas, desde aceitar um simples convite, até negar por medo do que poderia me esperar...

Acordei mais ansiosa do que de costume... Não via a hora dela me ligar confirmando minha ida...

As horas não passavam. Até que decidir me arrumar antes do combinado.

Uma chuvinha fina lá fora, clima perfeito para aceitar o convite.

Partir em busca do desconhecido, e passar um domingo diferente dos demais.

Muitas borboletas e libelulas no estômago. Confesso que já não lembrava mais como era sentir-se assim.

Chegando lá, a surpresa....

Me apresentou para família, fiquei com medo e com receio.

(Pois família pra mim é um trem sério. Seria isso uma oficialização de um possível namoro? Casamento? Ou apenas alguém que ela quer a aprovação da família antes de continuar caminhando? Enfim... Muitos pensamentos...)

Uma família adorável!!

As nossas demonstrações de carinho e afeto não pararam por causa das crianças ou pela presença de sua mãe.

Isso me fez pensar em muitas coisas, me fez pensar em como eu queria que fosse a minha vida. Como eu imagino que um dia será ás relações entre as pessoas. Será que um dia conseguiremos viver assim, tratando de forma natural os sentimentos?

Naturalmente, esta é a palavra certa, pois se eu conseguisse resumir aquele momento:
Tudo foi natural, ninguém fez caras e bocas.
E ainda teve um "coro" ensaiado me chamando de namorada da tia.

Queria pode proporcionar o mesmo sentimento e o mesmo gosto deste para ela.

Queria trazer ela em casa e ser natural, queria que não tivesse pudor por aqui. Que o mundo fosse assim.


Hoje compreendo o que Bandeira quis dizer com o poema: O impossível carinho!

"Escuta, eu não quero contar-te o meu desejo
Quero
apenas contar-te a
minha ternura
Ah se em troca de tanta felicidade que
me dás
Eu te pudesse repor
- Eu soubesse repor
No coração despedaçado
As mais puras alegrias de tua
infância!"
Manuel Bandeira

Indicação...

Tenho uma amiga que é verdadeiramente louca por Martha Medeiros, tudo que está relacionado com a escritora ela sempre me manda email. Por pura teimosia, sempre fiz criticas.

Porém confesso que alguns textos são ótimos e outros leio apenas ás três minhas linhas e a preguiça invade e não termino de ler. Dia desses, acasos da vida ou não... Conheci uma pessoa, de uma forma um tanto quanto inusitada (confesso), ir descobrindo quem ela é, ir me revelando aos poucos... Enfim este mistério de conhecer o outro. Pois bem, não é que ela disse ser louca por Martha Medeiros.

Sai do serviço, pensando muito nesta "nova" pessoa, em seus mistérios. E quando percebi estava na livraria, esqueci das horas e o que era o tempo.

Algo instigou minha curiosidade e cai no mundo de Martha Medeiros. Li um texto, e foi suficiente, para comprar o livro dela e me tornar mais uma admiradora de Martha Medeiros.

Segue o trecho do texto que me instigou:

"... A questão não é por que nos apaixonarmos por Roberto e não por Vitor, ou por que nos apaixonarmos por Elvira e não por Débora. A questão é: por quê nos apaixonamos? Estamos sempre tentando justificar a escolha de um parceiro em detrimento de outro, e não raro dizemos: "Não entendo por que fui me apaixonar logo por ele". Mas não é isso que importa. Poderia ser qualquer um. A verdade é que a gente decide se apaixonar. Está predisposto a se envolver - o candito a esse amor tem que cumprir certos requisitos, lógico, mas ele não é a razão primeira de termos sucumbido. A razão primeira somos nós mesmos.
Cada vez que nos apaixonamos, estamos tendo uma nova chance de acertar. Estamos tendo a oportunidade de zerar nosso hodômetro. De sermos estreantes. Uma pessoa acaba de entrar na sua vida, você é 0km para ela. Tanto as informações que você passar quanto as atitudes que você tomar serão novidade suprema - é a chance de você ser quem não conseguiu até agora..."
Trecho da crônica: Apaixonados - Por Martha Medeiros.

Eis que surgi o sentimento desconhecido...

"... Queria saber, se é bom ou ruim...
Ter uma flor, tão linda assim..."

Tanta coisa acontecendo em tão pouco tempo... Como descreve-las??

Coisas impossíveis de mensurar, coisas que parecem que duram a eternidade, coisas que tenho medo dizer ou pensar!!!

Certa vez ouvindo Erika Machado, ela descrevia com toda naturalidade (ou seria simplicidade): "... As coisas querem ser coisas que na verdade não são... Deve haver para tudo isso alguma explicação..."

Nada como o tempo e a paciência para trazer o desconhecido, para o campo do conhecido! Sair do campo das ideias e ir materializando algumas coisas!

"Ah se pelo menos o meu pensamento nao sangrasse
Ah se pelo menos o meu coração não tivesse memoria
Como seria menos linda e mais suave a minha historia."
(Cacaso)


O que eu não sou - Chicas
Composição: Isadora Medella

Eu não sou poeta nem quero ser
A canção eu fiz pra sobreviver
Coração aperta, canto pra respirar
Toco minha viola pra poder sonhar

Eu não quero nada que faz doer
Quero amar o mundo, quero amar você
Quando você não está
Eu vou tocar tambor
Extraviar no pulso toda a minha dor

Um dia o amor acaba
Invade a dor deságua
Transborda minha alma
Vazia está agora

Eu não sou maluca nem quero ser
Mas a noite passa
E eu não vou dormir
As flores me agradam
Tentam me colorir
Toco uma toada pra poder te ouvir

Eu não sou ateu nem quero ser
Deus te abençoe rezo por você
Eu vou tocar a flauta pra me despedir
De longe minha alma vai velar por ti

Olhando para o próprio umbigo!


"...E se me achar esquisita, respeite também.
Até eu fui obrigada a me respeitar..."
(Clarice Lispector)


Hoje passei o dia comigo. Não sei como explicar. Foi diferente e estranho!!
Assumi algumas coisas e deixei algumas coisas para trás!
Lição de casa: A difícil (fácil) arte de aprender ser gente grande!

No lugar do outro!

Faz exatamente 6 meses que comecei a trabalhar no lugar que estou hoje. É muito difícil descrever coo é trabalhar, e como é ser Assistente Social adulta (termo que usávamos enquanto estávamos na faculdade).


Nem parece que faz seis meses, que realizei aquele processo seletivo. E me lembro bem. Que eram duas vagas, uma para ocupar o cargo que estou hoje e a outra eles iriam encaminhar a pessoa para outra entidade, que também estava precisando de Assistente Social. Logo que pensei que a segunda vaga seria minha, pois acreditava que não tinha gabarito para concorrer a primeira vaga.

Pois bem na última etapa do processo seletivo fiquei eu e apenas uma outra Assistente Social, incrível como nos tornamos amiga e como compartilhavamos do mesmo sentimento de ansiedade.

Quando veio a resposta não acreditava: Eu fiquei em primeiro lugar e ela em segundo.

A felicidade de ambas foi tamanha. Que esquecemos de trocar, telefone ou e-mail.

Seis meses depois encontrei com ela. Trabalhando em uma entidade com criança. Por ser uma entidade filiada, fui fazer uma visita a entidade e quem me recebeu foi ela. Percebi que por um minuto nos olhamos e imaginamos como seria se fosse ao contrario. Ela quase não disse nada e eu também. Ficamos nos olhando. E tenho certeza que ela pensou o mesmo que eu:

Como seria se eu tivesse lá?

Tentando dar nó no ponto.

"...Feche a porta do seu quarto... Por que se toca o telefone, pode ser alguém.
Com quem você quer, falar por horas e horas e horas..."

De repente senti saudades de algumas expressões que você usava:
...Ve lá...
...Vocês são todas malucas...
...Muito massa...
...Esse som é muito bom...
... Interior do meu interior - inventamos juntas essa
... Entre laranjeiras e colinas - Lemos juntas
... A minha vai se chamar Sofia...
... Fica na paz...

E algumas sensações que certamente me lembra:
Ouvir música (engenheiros, Isabella Taviani, Ana Carolina, Nando Reis, Ira, Zélia Duncan, Legião Urbana, a muitas bandas e canções), trocar e-mail... E fazer cenas "ensaiadas" de ciumes (rs)... Ligações no meio da madrugada.

O que será essa "saudades"?
Como a gente tem certeza de que algo acabou? Como sabemos que demos o último ponto e terminamos de amarrar?
Será que um dia acaba? Diz minha mãe que quando a gente não esta com o coração ocupado, sempre voltamos ao último romance. Será isso?

Não vou me adaptar

Composição: Arnaldo Antunes
Eu não caibo mais
Nas roupas que eu cabia
Eu não encho mais
A casa de alegria
Os anos se passaram
Enquanto eu dormia
E quem eu queria bem
Me esquecia...

Será que eu falei
O que ninguém ouvia?
Será que eu escutei
O que ninguém dizia?
Eu não vou me adaptar
Me adaptar...

Eu não tenho mais
A cara que eu tinha
No espelho essa cara
Não é minha
Mas é que quando
Eu me toquei
Achei tão estranho
A minha barba estava
Desse tamanho...

Será que eu falei
O que ninguém ouvia?
Será que eu escutei
O que ninguém dizia?
Eu não vou me adaptar
Me adaptar...

Não vou!
Me adaptar! Me adaptar!
Não vou! Me adaptar!
Não vou! Me adaptar!...

" O que quereres..."


".. O quereres está sempre afim...
...Faz me querer-te bem, querer-te mal...
... Eu querendo, querer-te sempre ter fim...
...Ah bruta flor do querer..."


Tudo acontecendo ao mesmo... A vida passando cada vez mais depressa e correndo!!!
As vezes acho que tenho vivido de maneira "errada". Sei não...
Acho que tenho sido "adepta" dessa história de fazer tudo correndo. Certa vez ela me disse:
"Você não pensa nas coisas antes de fazer?? Vai fazendo??"


E naquele dia em diante percebi. Realmente não penso, vou fazendo, agindo e depois vejo o que dá...
O problema que é o resultado nem sempre é o esperado (ou dos melhores)!!
Essa minha ânsia de viver o hoje, o agora, de não me deixar o tempo (relógio) me controlar, de querer as coisas com INTENSIDADE. me levou para longe dela!!!


Não sei... Ando estranhamente estranha, neste mundo de estranhos (as).
Parece que tudo acontece agora, e sinto que a intensidade do viver agora. De fazer algo agora. Como se não houve amanhã. Essa minha mania de querer fazer as coisas darem certo... Por vezes acabo sozinha e com o coração ferido, dolorido e na mão.

Mas a intenção sempre é das melhores, sempre é na perspectiva de dar certo. De engatar algo...
Volto a afirmar (e confesso: vivenciar): CRESCER É DOLORIDO, ser gente grande parece ser legal. Mas no fundo é tão difícil, doí....

É cheio de dúvidas e incertezas. Por que não existe uma formula certa. (Talvez não deva existir uma formula certa, como viver com o coração na mão? Como amadurecer? Como aprender tudo isso sem se machucar?)

Pensamento...


"....Mesmo que eu não te veja
Posso sentir quando pensa em mim
É como não ver o sol
Mas ter certeza que está lá..."
Chimarruts


Será que quando a gente pensa muito em alguém esse alguém pensa na gente também??
Quando a gente acorda pensando em alguém, liga o rádio e toca aquela música que te lembra esse alguém. Tudo nos faz lembrar da pessoa. Passa o dia pensando na pessoa. Será que a pessoa também pensa na gente??

Será que quando alguém pensa muito na gente, a gente consegue sentir também??
"...Meu amor, minha flor, minha menina...
... Solidão não cura com aspirina..."
Zeca Baleiro


Trabalho com a arte do desapego todos os dias. rs
Meu serviço é bem simples, oferecemos um curso que prepara o jovem " para a vida" e tem duração de dois meses, ou seja, quando os jovens criam o vinculo, a confiança e a cumplicidade. Acaba o curso. E dai vivo dizendo a eles: Isso não é fim galera é um grande recomeço.

Quanta balela juntaaa.. Isso é o fim sim. A ausência vai doer muito. As tardes vazia, sentiram falta!!

É sobre a difícil arte do desapego que me peguei hoje. A gente se costuma a tanta coisa chata e legal. E como é difícil tirar alguém dos nosso pensamentos , da nossa rotina do nosso cuidado...

"Arrumei" um novo amor, a pouco tempo. Estava tudo lindo, era só flores, um verdadeiro jardim. Me dei o luxo de pensar que a incansável busca por um ser que me contemplava havia chegado. Quanta balela... rs

Acontece que eu vinha cuidando muito bem do meu jardim, que ate tinha dado só flores, das mais alegres e coloridas. Ate que veio uma tempestade e acabou com tudo, tentei arrumar. E logo em outra chuvinha boba, destruir o meu jardim novamente. Pedi conselho para amigos (as), tentei inverter a situação, conversei com amigas dela. Para ver o que poderia reavivar o nosso jardim que só tinha flores das mais alegres e coloridas e invejado por muitos.

Pois bem de nada adiantou os conselhos e as longas conversas. O jardim esta todo destruído e a gente se trata como duas estranhas.

A pouco voltei de uma festa de aniversário delaela. Amigas, família apenas as pessoas mais intima. Não entendi ainda o motivo, mas ela me convidou.

Ainda bem que na mesma data tive um compromisso familiar, o que me permitiu chegar com um certo atraso. Quando apareci no portão ouvi algumas vozes:
"É ela, ela chegou..."

Entrei me achando, a melhor pessoa do universo, fiz questão de comprimentar todas e dizer meu nome varias vezes em alto e bom som.

Pois é, de nada adiantou. A gente ficou distante o tempo todo. E não distante fisicamente, mas distante do sentimento. A gente mal se olhou ou se falou durante a festa toda.

No final da festa: Diria que fizemos um belo teatro, pois todos AINDA acreditaram que estávamos juntas. A mãe dela ao me comprimentar fez uma exigência:
"...Dorme com ela esta noite, assim ela não dorme sozinha..."
Apenas sorri e não respondi...

Ahhh se ela soubesse, que parecemos duas estranhas. Nos falamos por obrigação e meu coração fica apertado e pequeno.

Quando cheguei em casa minha mãe logo notou:
O que aconteceu filha?

E eu apenas disse: Nada a festa estava chata e resolvi vim embora mais cedo...

Ahh se ela soubesse como tenho andado triste e magoada. Como me faz falta as nossas conversas. Tenho chorado sozinha, e com uma vontade de chorar no seu colo e perguntar:
Mãe o que eu faço, me ajuda??

Mas não consigo contar e as palavras somem e nunca consigo dizer.

Mas esta noite ela insistiu: Por que já veio embora?? Achei que iria dormir na sua amiga, você gosta tanto dela.
Sorri e disse: Pois é. Cá estou em casa.

E corri para meu refugio: Meu quarto.
E com alguns pensamentos soltos, tentando me conforta e aliviar minha dor sozinha. Lembrei das coisas que digo aos jovens quando o curso termina:
Todo fim é grande recomeço.
MENTIRA. Fim é fim mesmo.
Fim dói e machuca, fim deixa marcas, fim destroi
e definitivamente nenhum fim é grande recomeço....

Está doendo muito hoje, talvez após uma noite de choro e insônia. Essa sensação passe
Mas é que eu gosto tanto dela. Ai se ela soubesse! Talvez brigássemos menos e talvez agora eu estaria lá, dormindo com ela. E amanhã acordaríamos com aquela preguiça e vontade de ficar na cama o dia todo.
Me apaixonei e agora??

Em Campinas é assim:

Nada é impossível de mudar
Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar. Bertolot Brecht


A Cidade amanheceu mais triste, menos colorido e divertida esta manhã. Camilly, uma militante, travesti foi brutalmente espancada por um sujeito HOMOFÓBICO que diz estar agindo em legitima defesa.

Eu não a conheci, mas o que me revolta é saber que temos que comprar nosso direito de ir e vir, saber que esses enrustidos não tem coragem de assumir o que sentem e perseguem e matam ás pessoas que são livres e tem coragem de assumir o que sentem e como sentem!!

Me pergunto ate quando??

Ate quando lésbicas, gays, travestis, trans e bi vão ser perseguidos??

Por que nos roubam nosso direito de amar e ser quem somos??

Por que algumas pessoas acham que podem tirar a vida da outra simplesmente por ter um gosto diferente da maioria?
Só queremos ser livres. Devolva nos o nosso direito de ir e vir. O nosso direito de amar, por quem sentimos tesão!

NÃO AGUENTO MAIS TER A SENSAÇÃO QUE VIVO ESCONDIDA. Frequentando lugares para gays, frequentando pousadas que não sinalizam que são gays com medo da violência.

EU QUERO SER LIVRE!!! EU TENHO ESSE DIREITO!!!
(A notícia abaixo foi retirada de um jornal popular: Notícias Já, e infelizmente a luta das travestis é tamanha, que até na hora da morte sofrem preconceito. No Jornal se referem a Camilly como se ela fosse homem e não uma travesti com orgulho).


Covardia

Convite pra ‘aquilo’ acaba em pancada
Um homem, que não havia sido identificado até ontem à noite, foi internado em coma após apanhar feio de um ajudante, em Campinas

Alenita Ramirez

Roberto Rubens de Macedo foi preso em flagrante e disse que só se defendeu porque não aceitou o programa sexual. O suposto convite para um programa sexual terminou em pancadaria e com um homem, não identificado até o fechamento desta edição, em estado de coma. Segundo a polícia, o rapaz, que está no Hospital Mário Gatti, teria convidado o ajudante Roberto Rubens de Macedo, 25, para um rala e rola. Macedo não gostou e espancou a vítima até deixá-la inconsciente. A agressão aconteceu no bairro Bonfim, em Campinas.

De acordo com a polícia, Macedo foi preso em flagrante. A vítima tem cerca de 30 anos. O caso foi por volta das 20h de anteontem, na Rua David Vicente, perto da linha férrea. Macedo foi surpreendido por uma viatura da Polícia Militar, que fazia ronda pelo local, no momento em que tentava esconder o corpo. Ele estava agachado e ao perceber a aproximação da polícia, fugiu para um terreno baldio. Foi perseguido e pego pelos PMs. A vítima foi jogada em uma valeta. Segundo os policiais, o ajudante confessou que tinha espancado o homem para se defender de agressão.

CANA NO 2º DISTRITO
Roberto Rubens de Macedo foi preso e responderá por tentativa de homicídio. Ele foi encaminhado para a cadeia do 2º Distrito Policial.

A DEFESA
Macedo contou à polícia que o homem o teria forçado a fazer um programa sexual e com a recusa partiu para cima dele com uma faca. O ajudante usou 2 pedaços de madeira para golpear a vítima, que teve ferimentos na cabeça e o rosto desfigurado. Ele contou que pensou que a vítima estava morta e por isso o arrastou até a valeta. A PM não achou a faca.

Bailarina e Soldado de chumbo

"... E para minha poesia é o ponto final..."
O Teatro Mágico

E quando??

"... Eu rabisco o sol, que a chuva apagou..."

Você quer simplesmente conversar com alguém, que não tem nada haver com seu meio, com seus problemas, medos e rotina. Quer simplesmente conversar com aquela pessoa que mal te conhece, não sabe se entre o azul e o rosa você prefere o ROXO. Ela mal te conhece sabe superficialmente da sua vida. Conversamos as vezes pelo msn.

Mas com tanta coisa acontecendo queria apenas conversar com ela. Ela que não sabe dos meus problemas, medos e afins. Ela que com certeza deve ter os mesmos (ou parecidos) problemas!!

Mas não sei explicar, ela simplesmente me traz calma, me passa uma paciência, algo bom. As vezes me parece ser uma pessoa sábia que toma as decisões com precisões e no momento certo. É como se ela sempre dissesse calma vai ficar tudo bem (embora nunca tenha me dito isso), é isso que ela me passa. Segurança talvez.

Sentimento



Angústia: s.f. Ansiedade física acompanhada de opressão dolorosa: os estremecimentos da angústia.
Inquietude profunda que oprime o coração: uma angústia mortal.
Filosofia. Experiência metafísica, para os filósofos existencialistas, através da qual o homem toma consciência do ser. (Sin.: agonia, ansiedade, apreensão, aperto.)

Uma amiga disse: "Lendo um livro do Caio Fernando de Abreu lembrei de você:
"De repente me passa pela cabeça que você pode estar detestando tudo isso e achando longo e choroso e confuso. Mas eu não quero ter vergonha de nada que eu seja capaz de sentir. Tento não ficar assustado com a idéia que este tempo aqui é curto e que talvez não veja mais você. Sei que não fico assustado demais, e enfrento, e reconstituo os pedaços, a gente enfeita o cotidiano - tudo se ajeita. Menos a morte"..

Queria dizer um monte de coisa, mas não consigo! - Foram estas as palavras...
Eu também queria dizer e escrever um monte de coisa, mas simplesmente ás palavras não saem, o coração fica apertado e tudo volta a ficar cinza de novo!!!

O que está acontecendo? Alguém tem a resposta?? Amadurecimento?? Crise?? Decisão??

Sei que tudo isso é uma tortura, (como ela mesma me disse)
Caindo...

"Tem certas coisas que eu não sei dizer..."


Confusão....

Por que depois de algum tempo, quando resolvemos arrumar o desarrumado, a bagunça espalhada pelo chão, guardar os brinquedos. E caminhar tentando respirar. Eis que surgi o desarrumado, dizendo que agora esta arrumado e quer viver uma vida a dois?!

E daí parece que fica tudo uma bagunça de novo, e a gente já não sabe mais se tem feito a coisa certa, se tem caminhado no caminho certo...
E fica apenas esta angustia, fica apenas a sensação, ou melhor, a vontade de dar aquele grito bem alto, de chorar ate perder as estribeiras, e ver se as coisas volta para seu devido lugar!!

Por que agora eu acho que já não dá tempo, de viver o nosso feliz para sempre.

"... Sou dessas mulheres..."

"Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia."
José Saramago

"Só o movimento é eterno..."

"... Tem horas que a gente se pergunta: Por quê é que não se junta tudo numa coisa só?..."

Essa famosa lei da diletica por vezes me deixa sempre, mas sempre em crise. Coloca em cheque coisas que acredito, acaba com meus amores, constroi novos horizontes, desconstroi conceitos, e reconstroí um bocado de coisa. Me faz re-acreditar em coisas que já não acreditava mais. Dizer o oposto, acreditar no inverso e vivenciar a contradição. Assim lendo e estudando alguma coisa que me tirasse dessa crise, que me ajudasse a compreender esse mundo. Encontrei:

"... Pensar a realidade como processo, movimentação, contradição, unidade da identidade e da não-identidade. Assumir uma postura intelectual totalizante, que separa e distingue apenas para poder ficar em melhores condições de reunir e unificar. Entender que o real é sempre uma 'síntese de múltiplas determinações', como dizia Marx, um processo multidimensional permanentemente submetido ao jogo de contradição que não cessam de se manifestar e se repor..." (Nogueira, 2001)

Saí do armário!?

"... Dizeste que se tua voz tivesse força igual. A imensidão dor que sinto. Teu GRITO acordaria não só a tua casa, mas a vizinhança inteira..."
Legião Urbana

Estive pensando, realmente não é fácil ser homossexual, gay, lésbica e qualquer outro nome que se identificarem melhor.

Como fazemos para desconstruir tudo aquilo que colocaram para gente como verdade única e absoluta?? Como fazemos para encarar a sociedade e nos aceitar como somos?

Como construir novos valores e não achar que estes não estão errados. Que Deus não me ama menos ou mais, Ele simplesmente me ama como sou.
Confesso que não é tarefa fácil desconstruir tudo que aprendi desde pequena.

Casamento de vestido branco, no altar o príncipe encantado, filhos (no máximo dois, pois é assim que manda a tradição), e no natal aquela foto que vai ficar durante muito tempo no porta retrato e seremos um família feliz.

Bom... No lugar da igreja, colocaria uma festa com amigos (as) íntimos (as). No lugar do vestido branco, talvez um vestido na cor champagne. E o príncipe, quem sabe uma princesa?!?
As crianças, na certidão de nascimento duas MÃES?! SIM, duas mamães, e daí?
E dai sim nossa foto no natal, e o porta retrato em cima da mesa já empoeirado.
Assim que imagino.

Confesso que para chegar nesse pensamento não foi fácil. Ainda me pego em crise.

Mas o que realmente me coloca in check é ver um casal hetero se beijando, ou apenas passeando de mãos dadas. E eu tenho que me "contendar" em apenas olhar de longe minha companheira. Nem um beijo em público muito menos trocar qualquer tipo de caricia em público.
Digo aos meus amigos (as) que vivemos escondidos (as), as pessoas sempre discordam e dizem que não vivemos escondidos não, será? Por quê frequentamos preferimos lugares gay a lugares heteros?? Por quê existe essa separação??
Seria as boates GLS uma fragmentação das pessoas e posterior um gueto? No sentido de que nós não nos "misturariamos" com os heteros. Conviveriamos apenas com gays. Não frequentando lugares heteros.
As vezes chego a pensar que andamos apenas em guetos, um gueto gay. Que "não se mistura".

Se nós nos reservamos, não nos mostramos, contemos nossos sentimentos. Vivemos "escondidos". E utilizamos diariamente desculpas como: Prefiro lugares gay. (posso paracer preconceituosa ao ultizar essa expressão). Porém arrisco dizer que este gueto nos mantem "protegidos", sendo nossa capsula protetora. Que nos protege do "mundo".
Não sei, realmente não sei. Mas creio que vivemos sim em um gueto gay. Uma faca de dois gumes, cheia de contradição.

E sempre penso, somos tão fortes. E não usamos essa força como deveria ser usada. Rompendo preconceitos e senso comum.

Nos assumimos, perante uma sociedade machista, preconceituosa, excludente, desigual. Mas mesmo com toda essa carga, abrimos o peito e dizemos sou homossexual sim, qual o problema.

Por quê somos tão forte para carregar nas costa a dor do preconceito e não consiguimos vencer barreiras como caminhar de mão dadas com nossa parceira?

Ando muito triste, pois fiquei sabendo que em uma cidade da Afríca. É crime ser homossexual. Ou seja, como se tivessemos escolhas. As pessoas seram condenadas a morte caso sejam vistas ou denunciadas como homossexual. 2010 e essas coisas acontecendo.
Realmente o mundo está acabando!!! (Como diria Cássia Eller: O mundo está ao contrário e ninguém reparou)

O livre árbitrio nesse momento foi enterrado.

Quero apenas registar minha profunda admiração por pessoas que gostam de pessoas do mesmo sexo. Que conseguem romper com paradigmas, de uma sociedade machista. E tiram força ainda não sei da onde. Para continuar caminhando.

Pois não é facil ser aceito, não é fácil se aceitar como é. Não é facil esquecer a idéia da igreja, do vestido branco, príncipe encantado e da família feliz.

Em busca da verdadeira e plena felicidade. Daquilo que nos torna forte!!!

Sofremos, mas também amamos. E aprendemos o verdadeiro significado da vida:
SER FELIZ!!!!

Sente...

"... Não sei, mas sinto, uma força que embala tudo
Falo por ouvir o mundo, tudo diferente de um jeito bate..."


Sinto falta de ler coisas novas!!!
Novas emoções?? Novas sensações, talvez??

Sinto falta de sentir o sangue correndo na pele, sinto falta de sentir aquele gostinho de paixão no ar, daquela insegurança: "Será que devo ligar?"
Sinto falta de viver outra vida!! Ou seria falta de viver a minha vida sem deixar ela passar sem viver??

Sinto falta talvez de voltar a se apaixonar pela vida, será??



Será, que sou eu?

"... Desligue a TV e leia um livro..."

Deixei de assistir TV por quatros anos. Calmaaa, nada de muito radical. Espiava as vezes alguns jornais, e confesso que as vezes espiava alguns reality show. Por ver toda a minha família vidrada no que passava na tv.

Pois bem, cai na besteira de ligar a TV esses dias.

Será que sou eu??

A única coisa que vi. Programas machistas, uma midía manipuladora e alienada. Fiquei com tanta raiva do que vi.

Não sou ninguém para querer criticar algo. Mas assistia a um programa (CQC), onde pegaram uma tal de mulher morango para trabalhar em um lava rápido. Como assim?

Mulher como mercadoria NAO.

Será que estou ficando muito crítica, muita chata?

Mas na TV nao passa nada que preste. Nada que realmente podemos aproveitar.

É apenas um aparelho para alienar as pessoas e manipular de todas as formas.

Sem sono.

"Olha... Será que ela é moça?
...Será que ela é triste?
... Será que é loucura?...
... Me ensina a não andar com os pés nos chão...
...Para sempre é sempre por um triz...
... Diz se é perigoso a gente ser feliz..."
Ana Carolina - Beatriz


Tentava dormi. Quando fui surpreendida pela mamis, vindo desejar boa noite.


Normalmente tenho insónia. Mas hoje parece que ela veio pra me acompanhar durante a madrugada. Resolvi escrever, para aguardar o sono chegar.


Enquanto todos dormem, ela pensa incansavelmente nas repostas que busca.
Enquanto todos dormem, ela buscava uma explicação para o seu sentimento seu nome.
Enquanto todos dormem, ela se mantia acordada, não por querer, mas pelos olhos ficarem sempre abertos.
Enquanto todos dormem, ela pensava na vida e no seu amadurecimento. Pensava realmente nas coisas que fazem sentido e naquilo que precisamos acreditar. Buscava uma resposta para explicar o que é a Vida? Onde esta Deus? Quem sou?
Enquanto todos dormem. A vontade que necessita adormece estava mais acordada do que nunca. Uma vontade de mandar uma mensagem dizendo Boa Noite para Ela. E ter a audácia em lhe convidar para reviver o passado tão amado e almejado. Que guardo com muito carinho.

Virando a página.

"...Saudade é amar um passado que ainda não passou...
... É recusar um presente que nos machuca...
... É não ver o futuro que nos convida..."
Pablo Neruda

O Amor é igual, é sujo, é o diferente, é transparente, se faz forte, é imoral, é totalmente sem crescúpulo, é o ridículo, é a pureza, é a beleza. Arrisco a dizer que é o mais belo de todas as coisas. Aquele que cura todas as dores do mundo.
Teria razão Renato Russo ao gravar: "... O amor é fogo que arde e não se vê, é ferida que doí e não se sente..."
Ufa, estou mais aliviada. Já consigo caminhar e traçar novos horizontes. Virando a página resumiria este final de semana.
Foi movida pela saudade, que quando percebi estava na cidade dela. Conversamos muito sobre nós e nossos sentimentos e acabou da maneira mais bonita que eu prévia. Ela é uma pessoa maravilhosa, uma pessoa que me ajudou a escrever quase um capítulo da minha vida. Mas agora estou de malas prontas em busca de um louco e verdadeiro amor novamente.
Obrigada por tudo! Pelas risadas, pelas histórias, e principalmente pela cumplicidade e pelo companheirismo.
Em uma frase: Fadiga em estabelecer uma nova relação amorosa.

Juro eu tentei


"...É só você que tem a cura pro meu vicio de insistir nessa saudades que eu
sinto...
Tentei chorar e não consegui..."

Quebrei o meu silêncio de mais de meses e liguei pra ela.
Quando percebi ja havia ligado... Mas ufa, ninguém atendeu.

Fiquei pensando a hora que ela ver meu numero no cel dela, não vai ser legal. Antes de eu terminar com essa frase ela me ligou.

Meu coração pulou de alegria, fiquei olhando pro cel tocar imaginando qual desculpa daria, para ter ligado.

Quando fui atender ela desligou.

Não aguentei e liguei de novo, nem precisei inventar desculpa ela mesma tomou conta dessa parte.

Atendeu dizendo:

Estava com saudades de você e estou muito chateada com você.

Meu coração gritou de alegria. Quis sair de campinas no mesmo minuto e ir correndo ate lá.

Ainda mais depois do convite (em tom de brincadeira), vem me ver agora.

Juro que se não fosse uma hora da manhã, iria sem pensar em nada e nem em ninguém. Ela insistiu no convite me chamando para ir no feriado para a casa dela. Conversamos tanto pelo telefone, foi como antigamente, as duas falando juntas e querendo contar tudo o que estava acontecendo com ambas. Não consewguia desligar o celular, queria conversar mais, ouvir mais um pouquinho daquela risada, compartilhar alguns momentos.

Se ela soubesse como me faz bem. Quando ouço a voz dela me sinto tão segura, sinto que tudo esta tão bem, que as coisas estão em paz.

Como eu quero(ia) ser forte e resistir, tocar minha vida sem lembrar do rosto dela. Sem sentir o gosto da sua boca na minha.

Por que tem que ser tão complicada?? Por que foi morar tão longe de mim??

Sinto tanta falta, das conversas, das brincadeiras, dos olhares, da cumplicidade, da construção, da ideologia, de tudo.

Descobri a cura para a minha ansiedade. Sua voz. As coisas estão em calma agora, tudo está perfeito agora novamente.

"Tudo numa coisa só"




Passado / Presente / Futuro = Estar

Quando percebi ja estava falando com ela no telefone. Liguei para minha verdadeira e única paixão. Minha amiga por quem fui verdadeiramente apaixonada por muito tempo e ela nem desconfia dessa paixão insana e doida. Sentia uma saudades dela, que dói dentro do peito, uma vontade de compartilhar tanta coisa. De lhe contar sobre os últimos acontecimentos, de lhe contar que estou sofrendo de amor. Quando percebi já estava na porta da casa dela, lhe oferecendo uma carona ate a faculdade.
Ela aceitou na mesma hora me abraçou forte e disse:
Senti saudades


Durante o caminho, me senti tão mulher ao lado dela, me senti tão madura, tão verdadeira. E ela continua a me provocar, com brincadeiras insinuantes. Mas a respeito muito, pois já conversarmos sobre isso e ela me disse que nunca rolaria nada entre a gente. Confesso, com você meu mundo ficaria completo.

Ainda lembro a primeira vez que eu vi, com aqueles olhos brilhando, e no rádio uma música da Cássia Eller. Meu corpo inteiro gelou e acho que fiquei roxa de vergonha ao ver ela cantando a música e me olhando. Foi a primeira vez que senti atração por uma mulher tão forte. Que mal consigo explicar a sensação.

Desde daquele dia nos tornamos amiga e eu nunca mais abri mão da companhia dela. Me apaixonei em silêncio, ajudei ela a curar dores de outro amor, sou sua confidente. E durante nossa "viagem" até a faculdade ela me confessou que estará indo a sampa rever o ex-namorado. Na hora fiquei com uma raiva, uma vontade de gritar. Apenas me contive e disse que seria bom para os dois. (engoli seco).


No caminho avisei ela que iríamos encontrar uma "amiga", que sai este final de semana e esqueci minha carteira com ela. Na hora ela respondeu:
"amiga mesmo?"

Não tive coragem de contar que não é amiga mesmo, é a pessoa que estou ficando. Não saiu, eu queria contar, mas não consegui.

Pois bem chegamos ao ponto de encontro, liguei para essa pessoa que me esperava. Que na hora atendeu o telefone dizendo:
Por que não veio sozinha?? Por que está com a sua amiga??

Apenas ri e não respondi. Ela veio ao nosso encontro e devolveu minhas coisas, ficamos as três ali conversando e rindo.
Eu queria muito mesmo gostar dessa pessoa que estou saindo, ela é muito divertida, gente bonissima. Mas meu coração ainda é de outra pessoa.
Na hora de ir embora, não tive coragem de beija-la na frente da minha amiga, na frente da pessoa que eu ainda alimento esperanças de um dia quem sabe a gente pode ficar juntas. Apenas disse tchau e entramos novamente no carro rumo a faculdade.

No caminho ela começou a me contar que ira viajar, não conseguia prestar atenção naquelas palavras eu só conseguia olhar e imagina-la como algo mais que minha amiga. E tive que perguntar
Vai viajar pra onde mesmo?
Ela riu e disse:
Presta atenção vou contar a historia de novo, no que vocês esta pensando.
Balancei a cabeça.


Chegamos a faculdade, ela desceu do carro. Me deu um beijo tão gostoso no rosto que quase agarrei ela ali na frente de todos. Claro que seria a primeira e última vez que faria isso. Pois ela é HT.

Quando ela saiu do carro desci ate o prédio que tinha aula. Mas não tive coragem de entrar, liguei para uma amiga que ainda não havia chegado na facul. Mas não tive coragem de entrar.

Foi quando lembrei do meu passado, da pessoa por quem ainda gosto muito e quero esquece-la. Lembrei do meu acaso. Me deu uma vontade gostosa de ligar pra ela, e inventar qualquer assunto. E dizer que estou morrendo de saudades para ela vim logo pra Campinas. Respirei fundo, liguei o rádio e para minha surpresa: Isabella Taviani.

Incrível como cada música, ou qualquer música dessa mulher me faz lembrar ela. Me faz lembrar o show que assistimos juntas dela. E no final do show ela me olhou e disse:
Gostou do show?

Eu disse: ah foi legal
E ela respondeu com ar de ironia:
Ahh eu sou mais feliz que a Isabella Taviani

E as duas riram muito. E fomos embora rindo e contando para todos que somos mais feliz que a Isabella Taviani.

Eu por eu mesma
Já na pista no caminho de volta pra casa. Sem nenhuma companhia. Sem nenhuma presença do passado, presente ou do futuro.

Fiquei comigo mesma. Tentando compreender as relações sociais das quais precisamos estabelecer, tentando compreender as mazelas do capitalismo, Tentando entender por que somos assim? Seres incompreendidos, será??

Por que o homem necessita explorar outro homem? Seria tão mais facil se unidos ficassemos e fortalecidos. Por que vivemo nesse mundo tão desigual? Por que uns tem acesso e outros não? Por que o direito é universal para todos e exercidos por aqueles que tem condições financeiras? Arghhh quantos pensamentos, quantos questionamentos.

Um minuto sem pensar em nada, apenas tentando esquecer tudo isso. E ufaa.. "Volto pra mim novamente."

Já havia me esquecido como gosto de viajar a noite, como gosto de pegar pista a noite, a sensação é das melhores, você cantar uma musica alta sozinha no carro. Você se sentir como é. E se dar conta de que a vida esta passando rápido demais.

Pois não faz nem quatro meses que terminei a facul e ja sinto uma saudades enorme do meu tempo de facul. Concerteza o mais engraçado, o mais divertido e mais cheio de descoberta.

Lembro das paqueras que rolavam solta na facul. Das risadas, dos nossos segredos. Enfim.
A vida é curta demais. E a gente ainda fica se preocupando com cada coisa.

Me sinto tão sozinha, tão mulher, tão amadurecida.


"E agora, José?
A festa acabou,
A luz apagou,
O povo sumiu,
A noite esfriou
E agora, José?..."

Carlos Drummond de Andrade